Bombeiro chora ao salvar criança de quatro anos que se afogava em São Paulo


Foto mostra bombeiro emocionado após resgate no litoral paulista - Foto: Divulgação/GBMar

Um bombeiro se emocionou ao salvar uma criança de apenas quatro anos que se afogava em Guarujá, no litoral de São Paulo, no último final de semana. Joel Júnior Silva Lemes aparece na foto enxugando as lágrimas enquanto segura a criança nos braços. A imagem viralizou nas redes sociais.


A foto foi tirada por outro bombeiro, que acompanhava a ocorrência. Ao G1, Lemos conta que estava em serviço na Praia das Astúrias quando as vítimas se afogaram e foi necessário realizar o socorro.


"A ocorrência aconteceu aqui no canto dos pescadores e, da posição que estávamos, dava para ver. Estávamos fazendo a manutenção na nossa moto aquática e tinha um guarda-vidas na faixa de areia. Simultaneamente todos vimos que eles estavam se afogando, mas em primeiro momento não sabíamos que se tratavam de crianças", conta.


Um bombeiro se emocionou ao salvar uma criança de apenas quatro anos que se afogava em Guarujá, no litoral de São Paulo, no último final de semana. Joel Júnior Silva Lemes aparece na foto enxugando as lágrimas enquanto segura a criança nos braços. A imagem viralizou nas redes sociais.

A foto foi tirada por outro bombeiro, que acompanhava a ocorrência. Ao G1, Lemos conta que estava em serviço na Praia das Astúrias quando as vítimas se afogaram e foi necessário realizar o socorro.

"A ocorrência aconteceu aqui no canto dos pescadores e, da posição que estávamos, dava para ver. Estávamos fazendo a manutenção na nossa moto aquática e tinha um guarda-vidas na faixa de areia. Simultaneamente todos vimos que eles estavam se afogando, mas em primeiro momento não sabíamos que se tratavam de crianças", conta.

Além do menino de quatro anos, havia outros três jovens: uma menina de 10 anos e adolescentes de 13 e 18 anos. De acordo com o G1, todos eram da mesma família e turistas, moradores de Jundiaí, na região metropolitana de São Paulo.

Lemos conta que os pais não viram os jovens se afogando. Ele conta que só percebeu que eram crianças quando entraram no ar para realizar o resgate. Surfistas ajudaram na ocorrência.


"Ele era tão pequeno, magrinho, que não cabia no flutuador. Foi quando falei para ele vir comigo e ele disse que estava com muito medo e me abraçou, exatamente como meu filho fala e faz quando sente medo de algo. Naquela hora eu me lembrei do meu filho e me emocionei muito. Tive que tentar conter a descarga de adrenalina para trazê-lo à faixa de areia. A foto tirada mostra que estou com ele nos braços como se fosse meu filho mesmo, foi muito forte a emoção. Foi tirada bem na hora que eu enxugava minhas lágrimas", relata Lemos ao G1.

Depois que todos estavam em segurança, os bombeiros orientaram os responsáveis sobre os cuidados necessários com as crianças. O bombeiro ressalta que é muito importante que os responsáveis que estejam com crianças na praia estejam as monitorando durante todo o tempo.


"Aonde a criança está, você deve estar também. Não pode ficar distante e deixar a criança na água. Sinto indignação por deixar uma criança a mercê do mar, que é tão perigoso. Graças a Deus chegamos a tempo e o pior não aconteceu".

Durante o feriado prolongado no início do mês de setembro, 11 pessoas morreram afogadas nas praias da Baixada Santista.


Receba nossas atualizações

  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Canal do Youtube