Médicos indicam que saúde de Trump é delicada

Em coletiva, médico da Casa Branca afirma que presidente passa bem, mas é vago ao responder sobre oxigênio completar. Pouco depois, fonte diz a imprensa que situação de Trump seria mais crítica do que divulgado.


© Joshua Roberts/Reuters Trump está internado


A equipe médica que está cuidando de Donald Trump, internado com covid-19, afirmou neste sábado (03/10) que o presidente dos Estados Unidos está bem e não teria apresentado febre nas últimas 24 horas. Horas após o anúncio, porém, surgiram rumores que o estado de saúde do republicano seria mais crítico que o divulgado.


"Estamos extremamente satisfeitos com os progressos que o presidente fez", afirmou o médico da Casa Branca, Sean Conley, ao lado de outros nove colegas que estão cuidando de Trump no hospital militar Walter Reed Medical Center, em Bethesda, nos arredores de Washington. Trump apresenta ainda fadiga, tosse e congestão nasal.


Conley frisou que "o presidente está muito bem, motivado e bem-disposto" e que não está precisando de oxigênio. O médico reiterou que Trump está recebendo o antiviral Remdesivir contra a covid-19, e não está tomando hidroxicloroquina. Ele desconversou quando foi questionado por jornalistas se o presidente havia precisado de oxigênio suplementar em algum momento desde que foi diagnosticado com a doença.


"Não quero pôr uma data [para ter alta], ele está muito bem, mas até ao décimo dia temos de ter muito cuidado. É difícil dizer em que ponto está na evolução", acrescentou Conley, que se recusou ainda a dizer quando Trump foi testado pela última vez antes do exame que confirmou o contágio com o coronavírus.


Depois da coletiva dos médicos, Trump elogiou nas redes sociais a equipe, que chamou de "incrível", e afirmou estar se sentindo bem.


Estado de saúde preocupante


Logo após as declarações médicas surgiram rumores de que o estado de saúde de Trump é mais delicado que o foi divulgado. Uma fonte familiarizada com a saúde do presidente afirmou a agências de notícias que o caminho para a recuperação do presidente ainda é incerto e que seus sinais vitais nas últimas 24 horas foram preocupantes.


"Alguns dos sinais vitais do presidente nas últimas 24 horas têm sido muito preocupantes, e as próximas 48 horas serão críticas em termos de cuidados", disse a fonte sob condição de anonimato.


Embora tenha ocorrido uma melhora no estado de saúde de Trump desde sua entrada no hospital, a fonte disse que poderão passar ainda vários dias até o presidente ter alta. A Casa Branca se recusou a comentar as declarações.